EDITORIAL


Quando eu me poupe a falar,
Aperta-me a garganta e obriga-me a gritar!
José Régio


Aqui o "Acordo Ortográfico" vale ZERO!
Reparos ou sugestões são bem aceites mas devem ser apresentadas pessoalmente ao autor.

20180426

Encontrei na Rua da Ponte de Pau


GIF via GIPHY

Possivelmente a Rua da Ponte de Pau irá continuar encerrada até à próxima Segunda-feira, por motivo de reparação do pavimento da Rua da Ponte de Pau, entre a saída do estacionamento do centro comercial e a estação inferior do "Funicular de Viseu". Infelizmente o pessoal da câmara municipal está, como vem sendo habitual, a "botar remendos, mal botados"... Estão a reutilizar lajetas quebradas, ou em mau estado e cimento para efectuar reparações. A anunciada substituição do malfadado ascensor, por dois pequenos autocarros eléctricos "Viriatos" e sem condutor, certamente obrigará a retirada dos carris, da vedação de segurança, e esperamos todos que o actual pavimento o seja substituído por cubos ou paralelos de granito, para acabar de vez com consertos atamancados...


GIF via GIPHY

A propósito de reparações! Esta manhã o "Funicular de Viseu" deixou de funcionar e segundo a informação disponível, estava outra vez! "EM MANUTENÇÃO".

20180425

Viva o 25 de Abril


Às zero horas e vinte minutos do dia 25 de Abril de 1974 "Grândola, Vila Morena", canção composta e cantada por Zeca Afonso, foi transmitida no programa "Limite" na Rádio Renascença, (Emissora Católica Portuguesa) para ser a senha indicativa da vontade inquebrantável do Movimento das Forças Armadas (MFA) em derrubar o regime anti-democrático que desde 1926, oprimia o povo português.

20180423

Porta da Srª do Postigo


GIF via GIPHY

Os vestígios da “Porta da Srª do Postigo” ou da “Senhora das Angústias”, também conhecida como “Porta da Traição” estão situados no cruzamento da Calçada de São Mateus  (antiga Rua da Cal), com a Rua de Silva Gaio e a Rua dos Loureiros. Esta era uma das sete portas da muralha afonsina que circundava a cidade de Viseu. Cinco portas e a maior parte das muralhas foram demolidas, por ordem da câmara municipal em 1844, neste caso apenas sobrou um pedaço do muro mas ainda é visível do lado direito o arranque do arco e os degraus de granito que permitiam subir até ao “caminho da ronda”. Bem perto existiu a gafaria e uma capela dedicada S. Lázaro, o patrono dos leprosos, demolida em 1815.
A construção desta muralha foi infelizmente muito tardia. A velha cerca não evitou o assalto à cidade por quatro vezes por forças invasoras castelhanas, com especial violência em 1372. Os moradores encontravam alguma protecção no interior da Sé, ou na Cava de Viriato, porque não existia castelo ou fortaleza segura. Foi por esse motivo que o Infante D. Henrique, 1º Duque de Viseu, autorizou o fecho de algumas ruas e o emparedamento de portas de casa para diminuir a vulnerabilidade da cidade.
Os Procuradores de Viseu às Cortes de Lisboa de 1439 solicitaram a construção de uma nova cerca para substituir “os muros velhos”. Porém, apenas em 1472, no reinado de D. Afonso V, terminaram os trabalhos que não foram concluídos porque a muralha nunca teve ameias.
O nome da porta advém da existência de um nicho no qual estava colocada uma imagem em pedra de Ançã representando a Virgem Maria, sentada com Cristo morto no regaço, que actualmente se encontra no  Museu Grão Vasco. Já o nome de “Porta da Traição”, que geralmente existia em todos os castelos e fortalezas medievais, indica que essa porta poderia servir para a uma eventual fuga precipitada e furtiva em caso de necessidade.

D.A.M.A - "Nasty"


"Nasty"  vídeo de Mário Loureiro para tema do álbum terceiro álbum de originias "Lado a Lado" (Novembro 2017) dos portugueses D.A.M.A 

Recordando Clube Académico de Futebol


Clube Académico de Futebol vs União de Leiria, Época de 1987/1988, Subida, pela segunda vez, à Primeira Divisão Nacional, Equipa treinada por Carlos Alhinho e João Basto, Presidente - José Manuel Oliveira.

2º Plano – Quim, Morgado, Carlos Manuel, Delgado, Kapa e Sardinha 
1º Plano – Abel, João Luís, Rui Madeira, Cruz e Leal

O “Académico de Viseu" terá sido formado, nos primeiros anos do Séc. XX, por um grupo de alunos do Liceu e do Colégio da Via-Sacra. Daí a justificação para o nome do clube e a sua cor - o negro. A primeira notícia da sua existência foi encontrada na Imprensa, datada de 7 de Junho de 1914, e diz respeito a um desafio de futebol a realizar no Campo de Viriato, no dia 15 às 14 horas, entre “... os teams Sportivos de Tondela e do Académico de Viseu”. O Académico foi um grupo informal, até 1927, o ano da aprovação e entrega dos seus Estatutos na Federação Desportiva de Viseu, mais tarde Associação de Futebol de Viseu.
A data da fundação do Clube Académico de Futebol (C.A.F. /Académico de Viseu) foi indicada, aleatoriamente (?), como tendo ocorrido no ano de 1917. Esta associação desportiva foi extinta, por decisão judicial, na sequência de um processo de insolvência no início de 2006.

20180422

Viseu 2001 vs Caxinas, 5-3


GIF via GIPHY

O Viseu 2001 vai estar na próxima época na 1.ª Divisão de Futsal. Os viseenses venceram a ADCR Caxinas (5-3) e conseguiram assim chegar ao objectivo que por várias e por pouco, lhes fugiu nos últimos anos. No final do jogo o muito público presente no Pavilhão Cidade de Viseu ovacionou, de pé os nossos "campeões".

CD Tondela vs CD Aves, 3-0

GIF via GIPHY

O Clube Desportivo de Tondela ao vencer esta tarde no Estádio José Cardoso, por 3-0, o Clube Desportivo das Aves, deu um grande passo para assegurar a permanência na divisão maior do futebol nacional. A boa carreira do "Tondela" deverá permitir fazer a 4ª época consecutiva na primeira divisão e continuar a ser o clube mais representativo da Associação de Futebol de Viseu e da Beira-Alta.

Lusitano FC vs Nogueirense, 2-0


GIF via GIPHY

O "Lusitano de Vildemoinhos" ao vencer esta tarde, no Estádio dos Trambelos, a A D Nogueirense, por 2-0 ( Braz 9' e Klysman 39'), vai pela segunda vez consecutiva, disputar o play-off de subida à II Liga de Futebol Profissional. Parabéns e boa sorte!

Braga B vs Académico Viseu FC, 2-2


GIF via GIPHY

Manuel Cajuda, treinador do Académico de Viseu FC foi a Braga disposto a "lixar" o Sporting Clube de Braga B mas apenas conseguiu empatar 2-2, no Estádio 1º de Maio, com o modesto 16º classificado, ou seja é o mesmo que continuar a marcar passo e a "Ver Braga por um canudo", no que diz respeito à possibilidade de subida à 1ª Liga.

Encontrei no Rio Pavia


GIF via GIPHY

Encontrei no Rio Pavia um cágado todo refastelado a apanhar sol... curiosamente estava no local onde se encontra, afundada a gôndola...

"VISEU POLICE CHALLENGE"

GIF via GIPHY

O "Viriato" hoje divertiu-se imenso, embora um dos seus guerreiros não tivesse gostado de ver uma das pernas cheia de fitas de plástico...


GIF via GIPHY

Realizou-se esta manhã a 2ª Edição do "VISEU POLICE CHALLENGE", prova de corrida e obstáculos com a extensão de 10 Km, com muita lama, várias travessias do rio Pavia e passagem pela "Cava de Viriato".


GIF via GIPHY

Os atletas foram desafiados a subir o "caminho de cabras", existente nas traseiras do "Monumento a Viriato", para subir ao cimo do talude da antiga fortaleza.



GIF via GIPHY

Uma vez chegados ao topo tiveram que atravessar a estúpida "passadeira de granito" e descer pela outra face do talude para o interior de cava.


GIF via GIPHY

Outro aspecto da prova com a terceira e última subida dos taludes, a mais fácil e de menor extensão, na sequência deste obstáculo os concorrentes abandonavam o interior do antiga fortaleza e passavam a correr pelo exterior, percorrendo depois o "Campo de Viriato" e encaminhando-se para o rio Pavia nas proximidades do Pavilhão Multiusos.

Passeando na "Cava de Viriato"


GIF via GIPHY

Aspectos da "passadeira de granito" sobre os taludes da "Cava de Viriato", junto ao "Lago da Cava", sendo possível uma etiqueta sobre um carvalho, resultante da inventariação de todas as árvores, mandada realizar pela câmara Municipal.


GIF via GIPHY

Quatro pontos de luz, há muito tempo vandalizados, da inútil iluminação decorativa da "Cava de Viraito"


GIF via GIPHY

O novo "Lago da Cava" em construção no interior da "Cava de Viriato", localizados nos terrenos onde esteve instalada a Feira do Gado. O lago irá servir para a criação de patos ou irá ter barcos para diversão?

20180420

Viseu Cidade Vinhateira do Dão


GIF via GIPHY

ALTO LÁ, UM BOCADINHO
AQUI ADEGA CENTRAL.
BEBEI TODOS UM COPINHO
ESTE VINHO NÃO FAZ MAL

Painel de azulejos da Fábrica do Outeiro - Águeda,  encontrado na EN 231, junto à localidade de Teivas

DJ Snake - "Magenta Riddim"


"Magenta Riddim" vídeo de Vania Heymann e Gal Muggia para o francês DJ Snake

20180419

Viseu 2001 vs ADCR Caxinas


GIF via GIPHY

Futsal - Viseu 2001 vs ADCR Caxinas, Jogo de Subida à 1ª Divisão, Domingo, 22 de Abril, às 17H00, no Pavilhão Cidade de Viseu

Brincando com o "Viriato"


GIF via GIPHY

Inacreditável! se não tivesse visto pensaria que não era verdade...
Em Viseu na "Melhor Cidade para Viver", "Cidade-Jardim", "Cidade Vinhateira do Dão", o "Monumento a Viriato" o maior ícone de Viseu encontra-se "INTERDITO AO PÚBLICO"! O Dr. Jorge Sobrado, actual Vereador da Cultura e do Turismo, lembrou-se de acrescentar o título de "Cidade de Eventos" mas a organização de uma "Corrida de Obstáculos", por iniciativa de uma associação de agente da polícia, não deveria estar autorizada a montar uma "geringonça", com paus de vassoura e cordéis, à volta do monumento, impeditiva da fruição livre do conjunto escultórico de Mariano Benlliure (1940), junto ao qual tantos visitantes gostam de ser fotografados porque por mais campanhas de markenting que engendrem, Viseu continuará a ser a "Cidade de Viriato", embora não haja certeza de ele por aqui ter passado.

A Falcata Ibérica


GIF via GIPHY
Falcata Ibérica - "Monumento a Viriato" de Mariano Benlliure (1940)

(…) “Foi, talvez, a mais emblemática e eficaz arma dos Lusitanos e aquela que mais “dores de cabeça” causou às hostes romanas. 
Não se sabe a origem da falcata na Ibéria. (…) Enquanto os legionários romanos utilizavam o gládio quase sempre de ponta, a falcata nunca era usada para espetar, mas para actuar de gume. (…) 
De uma maneira geral o gume da falcata localizava-se (ao contrário dos sabres) no interior da curva. Daí a sua espectacular eficácia. Mais, muitos fabricantes tentavam aumentar a sua eficácia afiando também o lado contrário ao gume. 
Assim, a falcata ficava a possuir dois gumes e podia ser utilizada em direcções contrárias. (…)
(…) Quando o pretor P. Carisius ordenou a cunhagem de denários em Emérita Augusta, para celebrar a sua vitória sobre os Cantabri, em 22 a. C., mandou gravar na face da moeda uma falcata e uma caetra [1] – as armas dos vencidos.” (…) 



1 – Pequeno escudo circular ( 30 a 60 cm) feito de madeira cortada e unida com peças de ferro, tinha muitas vezes uma bossa metálica ao centro que escondia a empunhadura e protegia a mão do guerreiro. Era muito usado pela infantaria ligeira, tinha presa uma correia de cabedal que servia para transportar o escudo ao pescoço. Durante o combate a correia permitia fixar o escudo ao antebraço, com firmeza, possibilitando o seu uso com arma de ataque. (AJ)

20180418

Chamem a Polícia...


GIF via GIPHY

A ideia de instalar um funicular, meio de transporte usado naturalmente adequado a situações montanha, com as necessárias adaptações atamancadas à pressa, só poderia dar mau resultado. Por esse motivo a Câmara Municipal de Viseu resolveu que o "Funicular de Viseu", não chegaria a completar o décimo aniversário. Em sua substituição pretende instalar um inovador sistema de transporte sem condutor que pelo menos inicialmente continuará a ser gratuito. O Dr. Almeida Henriques, presidente da câmara e o Dr. Jorge Sobrado, Vereador da Cultura e do Turismo, já sonham com milhares de turistas a chegarem a Viseu, para viajarem nos "Viriatos". A Calçada de Viriato, a Rua Serpa Pinto e a Rua da Ponte de Pau irão ficar livres da inadequada via férrea e da desastrosa vedação de segurança da linha. Espera-se que a ocasião seja aproveitada para remodelar o pavimento da Rua da Ponte de Pau que como as imagens mostram está, outra vez e literalmente a desfazer-se...

“Eu, Lúcio memórias de um burro”


GIF via GIPHY

É bem acertada a nota constante da contracapa – “Embora se trate de uma edição crítica, vocacionada para estudiosos universitários, este livro será certamente também do agrado do público em geral, já que pode ser lido por pura recreação.” Confirmo! já me diverti e continuarei a divertir com a leitura deste pequeno volume de 151 páginas, edição bilínge – português e grego.
No Prefácio é apresentado o autor: Luciano, mais conhecido por Luciano de Samóstata, nome da capital do antigo reino de Comagena, no norte da Síria e na margem direita do rio Eufrates, de onde Luciano era natural, é feita uma pequena resenha da sua vida e da importância da sua obra. Da sua biografia sabe-se muito pouco e foi reconstituída a partir de dados e pistas existentes nos seus livros. Mas onde acaba a ficção e começa a realidade? Ele próprio dizia que nos seus escritos a mentira era algo de muito corriqueiro! Terá escrito cerca de 80 obras e mesmo um relato de uma fantástica viagem à Lua (“História Verdadeira”) e previu a existência de vida extraterrestre. Nasceu pobre, terá vivido entre os anos de 125 e 185, foi aprendiz de escultor, na oficina de um tio que terá sido  um excelente escultor, mas rapidamente mudou de rumo e foi estudar retórica chegando mesmo a exercer a profissão de advogado. Viajou muito pela Ásia Menor, Grécia, Roma e Gália. Tinha uma larga erudição pois fez muitas referências a grandes filósofos, como Platão, Heráclito e Aristóteles; grandes poetas, como Homero e Hesíodo; e principalmente historiadores, como Heródoto, Xenofonte e Tucídides. O seu maior período de actividade literária coincidiu com o governo de Marco Aurélio, entre 161 e 180. Na velhice aceitou, por motivos económicos, um lugar na Administração Imperial do Egipto. Foi fonte de inspiração para autores com Erasmo, Thomas More, Rabelais, Voltaire, Montesquieu, Cervantes e Machado de Assis.
A história contada neste livro é a de um homem que por magia se vê transformado em burro, mantendo todas as suas capacidades e das vicissitudes porque passa até finalmente recuperar a forma humana.
Tudo aconteceu dest maneira: Lúcio foi a Tessália para fazer um negócio a mando do pai, passou pela cidade de Hípata e hospedou-se em casa de um conhecido, Hiparco, que tinha fama de avarento, uma bela esposa e uma criada bem jeitosa. Chegou apresentou-se, foi recebido e algum tempo depois estava bem aboletado e a papar a criada - “a muito viva e engraçada Palestra”. Mas Lúcio estava muito interessado em apreciar os poderes da patroa que tinha fama de feiticeira e lasciva. Depois de algumas noites de assanhada luta amorosa com a moça (palestra = luta) chegou, finalmente, a oportunidade de espreitar a senhora. Lúcio e Palestra assistiram à assombrosa transformação da mulher em coruja, para voar e ir juntar-se ao seu amante, enquanto o marido dormia.
Entusiasmado Lúcio rogou à moça que o ajudasse a experimentar a magia que vira. A coisa resultou mal. A jovem confundiu a caixa que guardava o produto mágico e Lúcio viu-se transformado em burro. Palestra desculpou-se e disse ao seu querido que tivesse paciência que logo pela manhã tudo se resolveria. Bastava comer algumas pétalas de rosa para desfazer o encantamento. Lúcio ficou convencido e foi para o curral onde sabia estar o seu cavalo e um outro burro.
Por azar nessa mesma noite, a casa foi assaltada, os seus moradores amarrados e a casa totalmente esvaziada. O burro – Lúcio, também foi roubado e excessivamente carregado com o produto do roubo. Só depois de muitas vergastadas, mudanças de dono, variadas peripécias e muito gozo sexual, o burro que estava a ser exibido no Anfiteatro para cobrir uma mulher, pode deitar a boca a umas rosas e devorá-las. Então todos ficaram estupefactos ao ver que “o envelope exterior da besta” desapareceu e Lúcio ficou nu e em risco de ser lançado de imediato na fogueira. Por fim safou-se graças ao governador que o reconheceu como filho de amigos e o levou consigo. Antes de regressar à casa paterna ainda foi visitar uma mulher que se apaixonara por ele, enquanto vivia sob a forma de burro. Foi muito bem recebido, todavia como o seu instrumento, em tamanho, ficava aquém do da besta, foi rapidamente rejeitado e expulso para a rua todo nu...

“Eu, Lúcio memórias de um burro” – Luciano
Prefácio , tradução e notas de Custódio Magejo – Prof. da Faculdade de Letras de Lisboa
Colecção Clássicos Inquérito, Editorial Inquérito, Lda., Lisboa 1992

Residente - "Sexo"


 "Sexo" vídeo para o "single" do portoriquenho Residente, com Dillon Francis e Ile

Camélias


GIF via GIPHY

Camélias

O perfume delas
É, talvez,a cor...

Pedro Homem de Mello